O que é a SC e como se trata?

O QUE É A SÍNDROME DE CUSHING?

Esta patologia ocorre quando há excesso de cortisol, uma hormona produzida pelas glândulas suprarrenais (localizadas no polo superior de ambos rins). Esta substância tem funções muito importantes e é necessário para a vida. No entanto, o excesso desta hormona tem efeitos negativos para a nossa saúde.

 rinon_2.jpg              

A produção de cortisol pelas glândulas suprarrenais é controlada pelo hipotálamo e pela hipófise (ou glândula pituitária).

Hoje em dia, praticamente todas as pessoas com síndrome de Cushing podem ser tratadas eficazmente e muitos podem curar-se. Se não tratada, esta patologia pode ser fatal.

 

CAUSAS DA SÍNDROME DE CUSHING

Esta síndrome pode ter várias causas:

  • Tumores hipofisários benignos (adenomas) que produzem grandes quantidades da hormona ACTH; Estes tumores estão localizados na hipófise (glândula pituitária) na base do crânio; Esta condição denomina-se doença de Cushing.
  • Outros tumores não hipofisários que podem produzir grandes quantidades de ACTH como, por exemplo, o carcinoma de pulmão microcítico; Esta condição denomina-se síndrome de ACTH ectópico.
  • Tumores benignos ou malignos das glândulas suprarrenais que libertam cortisol em excesso.
  • Pessoas que tomam doses elevadas de glucocorticoides, usados em doenças como a asma, artrite reumatoide, prevenção da rejeição de transplantes, etc..

 

SINTOMAS DA SÍNDROME DE CUSHING

Os doentes com síndrome de Cushing podem apresentar um ou mais dos seguintes sintomas:

  • Aumento de volume so na cara, pescoço, costas ou ventre.
  • Pele fina que se rasgar com facilidade.
  • Aparecimento de estrias vermelhas.
  • Nas mulheres, períodos menstruais ausentes ou irregulares.
  • Crescimento de pelo em zonas atípicas, acne ou pele oleosa.
  • Debilidade muscular nos braços ou pernas, por exemplo, podem ter dificuldade para se levantar de uma cadeira.
  • Osteoporose, maior fragilidade óssea, maior risco de fraturas.
  • Aparecimento de diabetes ou predisposição para a intolerância à glucose.
  • Problemas de tensão arterial e maior tendência para doenças cardiovasculares.
  • Alterações do estado de espírito (depressão, preocupação, ira, etc.).
  • Aumento do risco de infeções.
  • Aumento do risco de formação de trombos venosos.

mujer.jpg

 

EXISTEM EXAMES MÉDICOS PARA DETETAR A SÍNDROME DE CUSHING?

Existem diferentes exames que se podem realizar para diagnosticar esta síndrome. No caso de suspeita por parte do Médico Especialista de Medicina Geral e Familiar (Médico de Família) o doente será encaminhado para o Médico Especialista de Endocrinologia e Nutrição que solicitará uma análise ao sangue e urina para verificar os níveis de cortisol. Apesar de menos utilizado, a deteção do nível de cortisol também se pode realizar através da saliva.

No caso do nível de cortisol ser elevado, são necessários mais exames para determinar as causas destes valores assim como para decidir o tratamento mais adequado. Normalmente recorre-se a exames imagiológicos da hipófise ou glândulas suprarrenais, como a Tomografia Axial Computorizada (TAC) ou Ressonância Magnética (RMN).

 

TRATAMENTO DA SÍNDROME DE CUSHING

O tratamento dependerá fundamentalmente da causa diagnosticada pelo Médico Especialista de Endocrinologia e Nutrição.

Se o aparecimento da Síndrome de Cushing se deve à toma de doses elevadas de corticosteroides, a posologia de tratamento será reduzida lentamente pelo médico.

Se o paciente não toma esteroides, então o tratamento pode incluir:

  • Cirurgia: à hipófise (glândula pituitária) pelo crescimento anormal da mesma, a outras partes do corpo (pulmão) ou a uma ou ambas glândulas suprarrenais.
  • Radioterapia: a radiação pode matar as células que crescem anormalmente consequência da Síndrome de Cushing.
  • Medicação: diferentes medicamentos podem travar a produção exagerada de cortisol pelas glândulas suprarrenais.